Total de visualizações de página

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Capítulo 9 – Gay não é humano? (GLEE – Furt)



Gente, confesso, que a emoção foi tanta que até chorei.

Obrigado equipe Glee!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Que delicadeza a do diretor da série Glee, ao fazer um capítulo dedicado ao jovem homosexual Kurt.

No capítulo de nome “Furt”, acompanhamos os preparativos para dois casamentos. Por isso, o amor esteve no ar na série. O pai de Kurt e a mãe de Finn finalmente decidiram se casar e formarem uma família. De outro lado, Sue descobriu que a melhor companhia para ela seria: ela mesma. E decidiu casar-se consigo mesma!

O pai de Kurt casa-se com a mãe de Finn. E Finn cheio de preconceito recusa-se a aceitar Kurt como irmão e defende-lo do bullying sofrido na escola por um machão que na verdade é um gay enrustido (como visto nos capítulos anteriores da série). È uma verdadeira mistura de amor, romantismo, preconceito, aceitação, família, solidão,  bullying, humanidade e musica.

E falando de casamento... Duvido que, quem assista a este capítulo, não sente vontade de casar... Eu senti... E se um dia for liberado quero uma entrada mágica e triunfal a estilo GLEE, a meu estilo também, pois sou muito criativo (modesto,kkk). Adoro esse tipo de coisa que os americanos são experts em fazer, transformando cerimônias normalmente épicas e tradicionais, em algo tão divertido.


video

Tudo isso nos faz pensar: Gay não é humano? Então porque ainda são massacrados como os escravos eram outrora? Porém hoje usam algemas invisíveis... E são açoitados de outras maneiras... E as férias se tornam mais profundas.

Por muitas vezes na escola fui posto de lado só porque eu era gay. Os meninos não me convidavam para sair, para se divertir com eles, não sentavam perto e nem faziam trabalho em grupo comigo... Salvo algumas exceções. Quem inventou que gay só quer a companhia de mulher? Tem uns que preferem, mas têm outros que não.

Sem contar os Bullying sofridos. Não, não me defendi por muito tempo, até tomar consciência dos meus direitos e reagir. Eu era uma criança e um adolescente se descobrindo. Como saber o que reivindicar. Nessas horas tudo que você sente é: solidão e tristeza.

É tão bom quando alguém te aceita como você é; e te trata como “um igual”, como gente, como ser humano. A gente se sente presente no local. Porque por muitas vezes nos sentimos distantes de tudo... Porque a sociedade não facilita podermos estar ali por inteiros. E nos colocam Etiquetas... Como de um produto. E por fim ganhamos rótulos. Oras... Sou gente! Minha etiqueta é a minha liberdade e meu respeito pela vida e pelo próximo.

Saibam héteros que lêem este blog, ter um amigo gay, não significa ser gay com ele; muito menos significará que ele irá gostar de você como um possível namoradinho. Não! Se você der a chance dele ser seu amigo, irá descobrir um colo (ou ombro) para toda hora. Um grande amigo. Falo por mim mesmo. Pode ser que um ou outro gay se apaixone? Pode!... Mas nada é regra, tudo é exceção. Quando deixamos as coisas claras, a amizade flui e os homens (heteros ou homosexuais) de valor vão sempre se respeitar. Porque no fundo todos querem ser felizes. Igual a você.

E que bela abordagem sobre a prática do Bullying (aqueles apelidinhos e piadinhas que ferem e humilham as pessoas e que é constituído como crime e poucos sabem). Em Glee, isso foi ganhando uma importância de conscientização séria. Em épocas onde somos bombardeados por notícias de ataques e violências contra gays; até de policiais... É interessante notar que uma série de televisão de apelo mundial fale tão abertamente sobre preconceito, bullying e desejos reprimidos. Quantos Kurts não existem pelo mundo e podem ver-se retratados na vida do personagem? O tema ainda continua na série, uma vez que o aluno acusado de bullying volta à escola depois de ter sido expulso.

Vamos denunciar essas práticas maldosas e irracionais... Isso sim é o retrato de serem que não são humanos!

Não tenho dúvida que Furt é um dos melhores episódios inesquecíveis da série GLEE, daqueles que nos tocam lá dentro sabe. E tocam heteros também, até quando há o casamento... Que casamento Lindo!

Eu amo e indico sempre esta série. Assistam!

A série bateu o Record dos beetles. Tem idéia do que é isso?

Em Furt eu experimentei todas a magia do amor fraterno, família e aceitação de ser GAY; uma sensação incrível que sabemos que muitos nunca tiveram por não serem aceitos como são, pelos seus afins. E ainda cheguei ao final do episódio com um sorriso no rosto, lagrimas nos olhos e feliz da vida e ansioso para assistir o próximo capitulo (gostinho de “quero mais”).

Tem como não amar Glee?

Acredito que o ápice do episodio Furt, é quando Finn canta e DANÇA com Kurt na festa... Foi de uma carga emocional incrível e belíssima, mesmo que Finn tenha demorado tanto para aceitar Kurt como irmão. Eu até chorei, e gritei de emoção... Gente não tem como descrever. Tem que assistir o capitula todo.


video

Vocês podem até ver os pedaços do episódio que acabei publicando, mas para melhor sentir o que estou falando, só assistindo todo o capitulo. Para que isso seja possível clique AQUI e baixe este capítulo e emocione-se.

Abraço a todos

BY ME S2

Atenção.... torne-se agora mesmo um seguidor deste blog e fique por dentro de todas as novidades e posts.
Clique Aqui

3 comentários:

  1. Nossa sinceramente e vdd isso somos iguais e posso dizer q e horrivel ser discriminado por ser algo q vc é!! como vc mesmo citou no caso o bullyng quando vc e excluido do grupo dos homens por ser gay e fazer sempre trabalho com mulheres, ou entao nao poder sair mais com seu amigo pq vc e gay e ele se incomoda com isso e horrivel a sensação. Enfim quero parabeniza-lo pelo blog vc esta d parabens sou gay tenho 19 e este blog esta me ajudando pq e um blog gay q nao fala so d putaria como vemos mtos por ai na net bjus e sucesso no blog!!!

    ResponderExcluir

Gostou do Post? VOTE e ajude-nos a manter o BLOG no TOP GLS!