Total de visualizações de página

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Capítulo 15: Feliz Ano Novo Para Você que me Visita!

Que neste ano que se inicia, abra os meus olhos, os meus ouvidos, os meus sentidos e o meu coração.
Que eu veja além do comum.

Que eu enxergue, através dos homens, o que há de melhor em cada um.

Que eu ouça somente as palavras bonitas. Que eu sinta apenas as coisas boas.
Que eu seja mais do que um simples mortal.

Que eu seja eterno como eterno deve ser a esperança.

Que eu seja maior que a própria vontade de crescer.

Que eu queira mais do que o próprio querer.

Que eu seja mais do que esperam de mim.

Que eu possa expandir felicidade e perceber na simplicidade o valor de todas as coisas.

Que eu seja a semelhança do bem.
Que todos que de mim se aproximarem pressintam o amor que tenho a oferecer.
Que eu nunca cobre nada dos outros, mas cobre de mim.
Que eu consiga me doar sem esperar agradecimento.
Que eu seja simples e grandioso, como simples e grandiosa é a criação.
Que eu permaneça voltado ao que é bom e precioso - a vida em toda a essência de sua grandeza.
E assim, serei humano e feliz, humilde e poderoso, amante e amado.
Estarei pronto e de braços abertos para colher os frutos de um novo tempo, que espera mais compreensão e tolerância de cada um para todos os seres do universo.
Assim, teremos a verdadeira comunhão entre o ser e o mundo que o acolhe - todos os seres inteirados, respeitando o espaço comum.
E o mundo ficará bem melhor e eu terei feito apenas, uma parte de tudo isso. Aquela pequena parte que poderá ser a grande diferença.
Que eu tenha a felicidade de ver meus amigos e familiares unidos em um só pensamento, o de amor, paz e harmonia.
Que eu tenha a felicidade de um ser privilegiado por sua bondade de encontrar no ano que se inicia um mundo melhor para todos os seres do universo.

Então estarei em paz.

Que
assim seja!

Desejo a todos vocês que me acompanha um incrível e Feliz 
 Ano Novo!
E desejo que neste Ano Novo que se desperta, você possa fazer parte dessa grande Virada!

Um forte e grande abraço a Todos!


Para comemorarmos esta virada de ano, posto este vídeo abaixo junto com sua tradução... espero que gostem muito.  
F   E   L   I   L   I   Z         2011   !


video

Firework - Fogos de Artifício(Katy Perry)

Você já se sentiu
Como um saco de plástico
Voando com o vento
Querendo começar de novo

Você alguma vez já se sentiu
Se sentiu tão frágil
Como um castelo de cartas
A um simples sopro de desmoronar

Você alguma vez já se sentiu
Como se estivesse enterrado
A sete palmos
Você grita, mas parece que ninguém ouve nada

Você sabe que há
Uma chance para você
Pois você tem um brilho
Você só tem que...

Acender a luz
E deixá-la brilhar
Seja o dono da noite
Como o dia da independência
Pois, baby, você é como fogos de artifício
Venha e mostre do que você é capaz
Deixe todos boquiabertos falando "oh, oh, ooooh"
Enquanto você cruza o céu
Baby, você é como fogos de artifício
Venha e deixe as suas cores explodirem
Deixe todos boquiabertos falando "oh, oh, ooooh"
Você vai deixá-los todos supresos, surpresos, surpresos

Você não precisa se sentir
Como um desperdício de espaço
Você é original
Não pode ser substituído

Se você ao menos soubesse
O que o futuro lhe aguarda
Depois do furacão
Vem o arco-íris

Talvez a razão, por quê
Todas as portas se fecharam
Seja pra você poder abrir uma
Que te leverá ao rumo perfeito

Como um relâmpago
O seu coração reluz
E você saberá quando chegar a hora
Você só tem que

Acender a luz
E deixá-la brilhar
Seja o dono da noite
Como o dia da independência
Pois, baby, você é como fogos de artifício
Venha e mostre do que você é capaz
Deixe todos boquiabertos falando "oh, oh, ooooh"
Enquanto você cruza o céu
Baby, você é como fogos de artifício
Venha e deixe as suas cores explodirem
Deixe todos boquiabertos falando "oh, oh, ooooh"
Você vai deixá-los todos supresos, surpresos, surpresos

Bum, bum, bum
Mais brilhante até que a lua, lua, lua
Esse sempre foi você, você, você por dentro
E agora é hora de deixar isso aparecer
Pois, baby, você é como fogos de artifício
Venha e mostre do que você é capaz
Deixe todos boquiabertos falando "oh, oh, ooooh"
Enquanto você cruza o céu
Baby, você é como fogos de artifício
Venha e deixe as suas cores explodirem
Deixe todos boquiabertos falando "oh, oh, ooooh"
Você vai deixá-los todos supresos, surpresos, surpresos

Bum, bum, bum
Mais brilhante até que a lua, lua, lua
Bum, bum, bum
Mais brilhante até que a lua, lua, lua




BY ME S2

Atenção.... torne-se agora mesmo um seguidor deste blog e fique por dentro de todas as novidades e posts.
Clique Aqui

Capítulo 14: Mensagem de Reveillon - O Tempo


TEMPO. . .
Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial.
Industrializou a esperança fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez com outro número e outra vontade de acreditar que daqui para adiante vai ser diferente...

Para você, desejamos o sonho realizado.
O amor esperado.
A esperança renovada.
Para você, desejamos todas as cores desta vida.
Todas as alegrias que puder sorrir.
Todas as músicas que puder emocionar.
Para você neste novo ano, desejamos que os amigos sejam mais cúmplices,
Que sua família esteja mais unida,
Que sua vida seja mais bem vivida.
Gostaria de lhe desejar tantas coisas.
Mas nada seria suficiente...
Então, desejamos apenas que você tenha muitos desejos.
Desejos grandes e que eles possam te mover a cada minuto, ao rumo da sua FELICIDADE!!!

(Carlos Drummond de Andrade)

Abraço a todos

BY ME S2

Atenção.... torne-se agora mesmo um seguidor deste blog e fique por dentro de todas as novidades e posts.
Clique Aqui

domingo, 19 de dezembro de 2010

Capítulo 13: A Viagem – Parte III (A Cabana)

Ouvi os meninos comentarem: “como pode um motorista não saber trocar o pneu de um ônibus?”

A verdade é que ele sabia trocar, mas foi o modo que ele achou de dizer que estava perdido. O que ele queria mesmo era um GPS. Ele era novo e em algumas curvas e entradas da estrada ele se perdeu dos outros dois ônibus que estavam rápidos de mais pra chegar ao seu destino. Ouvi-o dizer a Samuel, um dos meninos que estava ao meu lado, que ele seguiu o ônibus errado, pois eram tão parecidos... Ele estava desesperado.

Descemos todos do ônibus os meninos foram mijar no mato e as meninas ficaram a olhar todas sorridentes com a palhaçada que eles faziam no mato. A final quem mijasse mais longe ganhava.

Meninos... adoro!rs

Era de tarde, e a estrada ficava cada hora mais vazia, quase um deserto. O motorista com os meninos que estavam ao meu lado trocavam o pneu do ônibus. É claro que eu os olhava.

Samuel já exausto e suado resolveu tirar a camiseta, por causa do calor... Jesus: Que calor! Ele era um daqueles negros que vocês come com os olhos assim como come um bom e saboroso chocolate. Delicia!rs.

Mas eu me comportei, até quando ele me olhou e ofereceu-me um pouco da água em que bebia, levantando a garrafa ao longe. Eu tonto (idiota) recusei claro.

Mas não pude deixar de observar atentamente seus grossos lábios engolir o gargalo da garrafa e saborear daquela água, que por hora só me dava mais calor, e não pelo clima, mas pelo que eu podia contemplar.

Eles combinavam como melhor sair dali. O motorista ligou para seus companheiros, mas adivinha o telefone não atendia. Estamos no meio do nada.

Eu resolvi voltar pra dentro do ônibus enquanto todos faziam festa do lado de fora. Ao olhar pro fundo do ônibus vi Raphael e Stafania se aprumarem. Seria o que eu estava pensando? Eles estavam transando? Fingi descer do ônibus e me escondi nas escadas. E adivinha, ela voltou a atacá-lo. Com certeza estavam!rs
Bem ali não era meu lugar. Saí de vez do ônibus.

Ao longe observei um grupo dos jovens que caminhava em direção a uma cabana velha. Resolvi segui-los.

Depois de um tempo de caminhada, lá estava ela, velha e isolada. Entramos e olhamos seu interior. Era grande o suficiente para todos. Imaginei passarmos a noite ali, mas não rolaria.

Quando olhamos para trás, todos haviam nos seguidos e a cabana estava cheia.

De longe ouvimos o motorista gritar: vamos não demorem, terminamos.
Mas de pronto tava tão longe que nem ligamos.

E um após um, aos poucos foi voltando. Afinal, não havia nada de especial na cabana. Exceto para mim.

Na varanda, no chão do assoalho, havia uma pequena flor que desabrochava do chão. Eu me sentei e fiquei olhando, tal feito. Incrível aonde a vida pode se erguer. Nada é impossível mesmo. Quando em ergui e me virei em direção às escadas da cabana para seguir ao ônibus, lá estava ele me observando, encostado na pilastra: Samuel.

Ele me deu um sorriso tão gostoso. Que não pude deixar de sorrir e baixar a cabeça de vergonha.

Então ele me disse: Pensei que ia ficar ai parado! Vamos estamos de saída, temos que nos encontrar.

Eu concordei
Sai às pressas passando por ele que me sorria. Eu me sentia como se acabasse de pagar um mico.

No caminho de volta para o ônibus ele vinha atrás me observando, e eu por vezes me virava e o olhava. E antes de entrar no ônibus esperei ele chegar e disse-lhe: Obrigado!

Ele entrou passando por mim e vestindo a camisa dizendo: Não há de que, garoto.

O ônibus estava em festa afinal a viagem estava só começando. E eu começava acreditar que nada seria como antes.

Os 07 meninos estavam me olhando, sentados em seus lugares.

O que estava ao meu lado afastou suas pernas e eu voltei para o meu lugar, e assim o ônibus se dirigiu em direção ao acampamento.

Voltei a escutar musica pelo foninho. Quando alguém gritou: Esquecemos a Isabela pra trás. Volta!

Puts! Essa viagem realmente não será fácil! Mas só pela companhia.... Vale a pena o sufoco.


Continua....


Abraço a todos

BY ME S2

Atenção.... torne-se agora mesmo um seguidor deste blog e fique por dentro de todas as novidades e posts.
Clique Aqui

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Capítulo 12: A Viagem – Parte II (Falando de Deus)

video

Escurecia, e o ônibus silenciava... eu começava a ouvir o som dos meus pensamentos. Os meninos ao meu lado falavam de Deus, e como ele havia transformado a vida deles. Eu os ouvia. Um deles dizia:
“Deus às vezes parece estar longe. Sabe às vezes nos sentimos sozinhos, com vontade de desistir. Mas Deus está ali dizendo, ‘vai continua, estou com você’. Sei disso porque por mais pecador que eu seja, Ele sempre esteve ao meu lado, como agora. Da forma dEle. Sempre caladão, mas sempre esteve ali. Cara, é incrível, como Ele consegue me ouvir e cuidar de mim. E olha que dou trabalho... Mas Ele mostra todo dia que me ama. Ah, como eu queria.... sim ah eu queria... poder devolver este amor, da mais perfeita forma. Mas eu pequeno como sou... tão singelo são meus agradecimentos. E mesmo assim, Ele os colhe, o olha como grãos de ouro. E sorri pra mim. Sabe irmão, nem sempre Ele me disse sim. Por muitos caminhos encontrei Seu não. Mas não pude abandoná-lo... porque por fim, encontrei seu sim.... quando Ele morreu por mim. E assim, ele cuida de mim. Sabe bem como me ensinar, a viver da melhor forma. Eu só tenho a agradecer. Mesmo que não entendas... eu sei... Deus está aqui!”

E assim eles continuaram, eu fingindo dormir, o olhava, ele tinha um semblante leve e feliz, ele era todo loirinho sabe, parecia um anjo. As vezes ele percebia que eu o olhava atento. E fixava seu olhar em mim, enquanto conversar sobre o amigo Deus. E eu pensava, será que Deus me ama? Será que está também comigo? Será que me atira pedras, que se afasta de mim... Porque eu sei, não sou melhor do que ninguém talvez pior. E eu pela primeira vez fechei meus olhos e pedi a Deus que me respondesse: Tu me amas?
Senti um frio, me virei pra janela. A chuva começava a cair e a temperatura a baixar. Meus pensamentos iam longe. E me senti sozinho. E antes que a escuridão da noite caísse, uma borboleta em meio a chuva pousou sobre o vidro do ônibus, eu a mirei. Linda saiu voando após alguns segundos. Sem dúvida era um sinal. Não me senti mas só. Gay ou não Deus me ama também.

Às vezes nós mesmos é que nos condenamos, porque por fim... Deus nos ama como somos. E hoje mais do que nunca eu sei. Deus Cuida de mim!
E a viagem prosseguia.
Ao amanhecer, um estalo. O pneu do ônibus havia furado. O motorista, desesperado entrou pela portinha que nos separava dele e disse... Temos sérios problemas. Alguém tem um GPS e sabe trocar um Pneu?

O gatinho, do meu lado, me olhou assustado e eu olhei pra ele também.

Continua....



Abraço a todos

BY ME S2

Atenção.... torne-se agora mesmo um seguidor deste blog e fique por dentro de todas as novidades e posts.
Clique Aqui

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Capítulo 11: A Viagem – Parte I (Um ônibus, um encontro)


Eu tenho tantas histórias vividas, que quando me sento para relembrá-las me sinto alegre e feliz. Sabe, você revive todas as experiências e se ri de si mesmo. È tão importante saber rir de si mesmo... Tem gente que não consegue achar graça nas coisas bobas ou erradas que já fez, isso é perigoso, pois podem acabar nos odiando por elas.

Lembro-me que certa vez, no colegial, ganhamos uma viagem para um lugar de acampamento. Adoro acampar. Pensa o que? Já disse sou gay, mas tenho jeito e gostos de qualquer outro menino hetero. Respeito os que não são assim, mas quem disse que todo gay se parece com menininhas e gostam de coisas de menininhas? Pensou errado... Derrrrrrrrrrr! Continuando...

Eu me sentia um pouco só, pois na época eu era um pouco tímido, e não tinha facilidade de me enturmar. Portanto logo cedo, ao chegar à porta da escola, avistei 03 ônibus parados. Fiquei a escolher em qual eu entraria. O 1º e o 3º estavam cheios, então fui para o 2º que estava ao meio dos outros dois ônibus. Ao entrar avistei uma zuação no fundo do busão. A galera estava agitada. Eu me sentia contente, mas não me sentia de todo presente, pois não estava junto deles. Eu quis me aproximar, mas logo hesitei quando percebi que o ultimo lugar no fundo havia sido preenchido por um garoto que chegara às pressas correndo e me empurrando para não perder a poltrona. Olhei para os lados sem graça e vi alguns “nerds” me espreitando enquanto comia salgadinho. Sentei-me então, na primeira poltrona, próximo a porta de saída do ônibus.

Eu podia ver o motorista impaciente, pois já estávamos atrasados e os outros 02 ônibus já estavam prontos, se posicionando para sair. Depois de alguns minutos o professor entra com mais 06 alunos, e diz que podemos seguir viagem. Não me pareciam estranhos aqueles meninos, já havia visto eles em algum lugar. Não me recordei naquela hora. Dois deles se sentaram atrás de mim, os outros dois atrás do motorista e os dois últimos atrás destes.

Os dois ônibus que estavam cheios começaram a sair, logo depois começou a sair o nosso também... Quando de repente, um carro fechou o meu busão e nos fez parar. Era um estudando que chegara com seu pai para viajar conosco, estava atrasado. O ultimo integrante da turma dos 06 últimos estudantes a entrar no ônibus. Ele entrou e eu rapidamente o olhei nos olhos. Ele sorria, livre e espontâneo. E sorrindo ele me olhou bem rápido antes de se virar para seus amigos e cumprimentá-los com um abraço e um ósculo no rosto. Sim, ele deu um beijo no rosto destes meninos. Eu também estranhei... Nunca tinha visto aquilo. Depois descobri que era porque eles pertenciam a um grupo de jovens da Renovação Carismática (da igreja católica) e lá isso era um sinal fraterno, sem malicia.  Acredite ou não.

Os seus amigos logo disseram: “senta aqui conosco”. Então, ele voltou a me olhar e perguntou-me: “Com licença, tem alguém sentado aqui”? Eu balancei a cabeça indicando que NÃO. Então ele se sentou e se virou para seus amigos e começaram a tagarela.

Não sei dizer, me invadia naquela hora uma estranha sensação em mim. Era como se eu já os conhecesse há anos. Sem falar que eles eram lindos, de verdade. E o 7º garoto, nossa realmente ele havia mexido comigo. Será que eu estava começando a me apaixonar por um garoto? Pela primeira vez? Será que eles me aceitariam no seu meio social, em seu grupo? Poxa, eu era tão tímido que nem consegui responder com palavras que não havia ninguém sentado do meu lado, como puxaria conversa? Como nos conheceríamos? Duvidas e pensamentos me invadiram e cada vez mais me sentia mais sozinho, num encontro comigo mesmo. Ele estava ao meu lado sim, mas era o mesmo que não tivesse, ele nem ligava pra mim ali.

Então coloquei meu foninho de ouvido e coloquei meu celular para tocar algumas musicas que eu separei para viagem. Desse modo encostei a minha cabeça no vidro e partimos em viagem rumo ao futuro desconhecido... rumo ao acampamento de nome “Acampamento dos sonhos”.

Quer saber como isso continua? Aguarde a Parte II da história, breve aqui mesmo... neste blog!


Abraços e obrigado pela visita...


BY ME S2

Atenção.... torne-se agora mesmo um seguidor deste blog e fique por dentro de todas as novidades e posts.
Clique Aqui

Gostou do Post? VOTE e ajude-nos a manter o BLOG no TOP GLS!